A boca revela muito sobre o quanto cuidamos do nosso corpo. Ela, de fato, é a porta de entrada para o organismo. Cuidar da saúde bucal também inclui prestar atenção na mucosa, na língua e garganta, ainda mais quando o assunto é o câncer de boca.

Esse tipo de câncer representa um sério problema de saúde ao redor do mundo. Os países que mais apresentam a doença são a França e Hong Kong. No Brasil, cerca de 10% de todos os tumores que são registrados têm origem na boca e seus anexos: lábios, língua, bochechas, gengiva, céu da boca, glândulas salivares, amigdalas e faringe. O câncer de lábio atinge mais pessoas brancas e o câncer de boca chega a ocorrer com mais frequência em quem tem o hábito de beber e fumar.

 

Origem e sintomas:

Todo tipo de câncer pode ser derivado de predisposições genéticas como também da falta de cuidados com a saúde. Somando-se os dois fatores, cria-se uma situação perfeita para que haja alguma anomalia na construção das células. No caso do câncer de boca, traumas na mucosa causados por alguns elementos, como dentes fraturados e cortantes, restaurações mal polidas, elementos pontiagudos dos aparelhos ortodônticos mal posicionados, junto ao uso abusivo de cigarro e álcool multiplicam as chances da doença e colaboram com a instalação de agentes cancerígenos que produzem mutações celulares.

Ficar exposto ao sol por tempo prolongado sem proteção nos lábios também é um fator que contribui muito para o câncer de boca, atingindo especialmente o lábio inferior.

Na maior parte das vezes, o câncer de boca é do tipo carcimona de células escamosas, um tipo de lesão que tem origem nas células que sintetizam a queratina, que é a proteína que dá estrutura a todos os nossos tecidos. O resultado disso é a dificuldade em cicatrizar feridas que têm a consistência mais dura quando comparada ao herpes, por exemplo.

O câncer de boca também pode se manifestar através de manchas ou placas vermelhas e esbranquiçadas na língua, gengiva, céu da boca (palato), bochecha. O surgimento e a demora para desaparecer nódulos no pescoço e rouquidão persistente também podem estar ligados à doença.

 

Prevenção e detecção:

A primeira recomendação para evitar não só o câncer de boca, mas muitos outros tipos de câncer, doenças e inflamações é cortar o cigarro e reduzir ao máximo o consumo de álcool. Ficar atento à saúde de sua boca, analisar a existência de alguns dos sintomas relatados acima também é um bom começo para um diagnóstico precoce. Porém, o dentista é uma peça fundamental nesse caso. É recomendável frequentar o consultório odontológico pelo menos duas vezes ao ano para que o seu dentista faça um checkup total da sua boca.

Alimentar-se adequadamente, dando ao corpo a quantidade suficiente de nutrientes e vitaminas, é extremamente necessário para fortalecer o sistema imunológico e para que as defesas do corpo consigam combater agentes externos e anomalias. Evitar o stress constante, que coloca o corpo em estado de alerta, e buscar a prática de exercícios físicos podem contribuir muito para as nossa imunidade. Sem falar em sempre passar o filtro solar, mesmo em dias nublados.

 

Conheça mais sobre o câncer de boca:

Abaixo, um guia ilustrado sobre as principais questões da doença.

(Fonte: Sautil)

Se faz tempo que você visitou um consultório odontológico, marque agora mesmo uma avaliação com um dentista para dar um checkup geral na sua saúde bucal.

Para saber mais sobre o câncer, consulte o INCA (Instituto Nacional de Câncer).