Muitos pacientes ficam apreensivos quando a estética dos dentes não parece saudável. Grande parte das preocupações vêm das manchas dentárias que evoluem de dimensão ou aparecem de uma hora para outra, em um certo momento na vida.

Podem ficar calmos: a maioria das manchas dentárias são reversíveis! Ainda assim, mesmo as mais complexas de se achar uma resolução, podem ser prevenidas. É o que explica o Dr. Dax Bittencourt, especialista em estética dentária na Odontoquality, responsável por inúmeras recuperações de arcadas manchadas e quebradas.

 

Extrínsecas ou intrínsecas?

Existem duas origens para as manchas nos dentes: as extrínsecas – que foram ocasionadas através do meio e atingem somente a parte mais superficial dos dentes –  e as intrínsecas – que já nasceram e/ou cresceram junto ao dente ou foram provocadas por fatores internos, do organismo, e afetam a saúde interna do dente. Tanto um tipo quanto outro pode também ser classificado como caso reversível ou irreversível.

 

As extrínsecas

São manchas causadas pelo consumo constante e excessivo de alimentos com pigmentos fortes, como o café, o vinho e a coca-cola – além dos alimentos acidificantes, como já falamos aqui. O fumo também é um grande responsável por dentes com manchas amareladas. Possivelmente, são diminuídas com uma profilaxia (limpeza dentária realizada em consultório) e, em alguns casos, com clareamento dental.

O consumo excessivo de café pode levar a manchas nos dentes. 

Existe também um tipo de pigmentação escura de origem bacteriana. Esse caso ocorre em pessoas que têm uma bactéria específica na boca, as cromogênicas, fazendo com que apareçam manchas escurecidas nos dentes. Estes tipos de manchas são, normalmente, retiradas com uma profilaxia.

As manchas brancas podem acompanhar a dentição desde quando se é criança. As cáries, em dentes permanentes de crianças, podem levar à desmineralização do dentinho na margem da gengiva, causando uma pigmentação esbranquiçada. Assim, quando a criança se tornar um adolescente, as manchas vão estar na metade do dente. Mas, não se preocupe: estes tipos de manchas são reversíveis a partir de restaurações e microabrasão, um tipo de polimento superficial dos dentes.

Tudo

Qual a melhor maneira de clarear os dentes?
Descubra dicas para um sorriso iluminado!

Baixar agora
 

Manchas intrínsecas:

São aquelas que cresceram com e/ou chegam a atingir a polpa do dente.

A fluorose é um mal que causa manchas brancas – reversíveis ou não – nos dentes. Ela tem origem ao consumo excessivo de flúor, presente na água e em alguns alimentos que consumimos – embora esse seja um caso extremamente raro hoje em dia. Normalmente atinge crianças de 0 a 12 anos, quando a dentição ainda está sendo formada, causando as manchas brancas que podem ser superficiais até profundas. Uma mancha de fluorose superficial é reversível a partir da microabrasão ou restauração do esmalte descalcificado. Já uma mancha muito profunda, ou seja, onde ocorre uma desmineralização total do esmalte dentário, passa a ser irreversível.

O uso do antibiótico tetraciclina também é responsável por manchas marrons e acinzentadas em crianças com dentes em formação. Por isso, é muito importante consultar o médico do seu filho e verificar se existe uma alternativa ao medicamento para o caso dele. É relevante dizer que a tetraciclina só afeta os dentes em formação. Depois de formados, não há risco de desenvolver essa pigmentação. Este tipo de mancha costuma se irreversível.


Cuidado com a tetraciclina! Ela pode causar manchas irreversíveis em dentes em formação.

Outros tipos de manchas intrínsecas provém de restaurações com mau polimento ou restaurações danificadas. O “serviço mal acabado” de algum dentista pode originar manchas marcantes – o que, em termos técnicos, é chamado de infiltração marginal. Também são reversíveis por profilaxia e uma nova restauração bem feita.

 

Quando o caso fica mais sério

Muitos não devem saber, mas as cáries têm grande influência sobre as manchas. Quanto mais o dente reage às agressões da cárie – que tem origem no consumo de açúcar com a falta de limpeza correta – mais se produz uma dentina esclerosada, mais escura. A dentina também é chamada de polpa do dente, a parte interna e vital do mesmo. Ela, em sua condição natural, tende ter uma coloração alaranjada. Com a ação da cárie, obviamente não tratada com uma certa urgência, a dentina vai escurecendo. Quanto mais dentina esclerosada, mais o dente é resistente ao clareamento dental. Este tipo de mancha é uma das mais difíceis de se reverter.

 

Tratamento

Como dissemos, em consulta com o Dr. Dax Bittencourt, a maioria das manchas são reversíveis. Existem inúmeros tratamentos, desde o mais comuns aos mais planejados:

1 – Profilaxia (limpeza dentária)
2 – Microabrasão do esmalte (desgaste superficial do esmalte)
3 – Clareamento
4 – Substituição de restaurações
5 – Tratamentos cerâmicos

 

Prevenindo as manchas

A melhor forma de prevenir manchas é cuidar diariamente da limpeza do seus dentes e gengivas, com uma boa escovação e o uso de fio dental. Afastando a placa bacteriana, os dentes tendem a continuarem com as suas colorações naturais.

Também é importante reduzir o consumo de alimentos com pigmentos fortes – especialmente aqueles que não fazem bem à saúde, como os refrigerantes de cola. Além disso, prefira consumir sucos de limão, laranja ou outras frutas ácidas com um canudinho. Isso evita a erosão dentária.

Uma técnica muito boa para os amantes do vinho é alternar as taças do tinto com copos de água com gás. Além da água “limpar o paladar”, o gás tem o papel de remover os pigmentos da uva que podem se apegar aos dentes.

Realizar limpezas profissionais com dentistas, pelo menos 2 vezes ao ano, é fundamental para manter a boa saúde dos dentes.

 

Clique aqui e marque a sua avaliação com o Dr. Dax Dalton Bittencourt, especialista em Estética da Odontoquality