Ouvir as palavras do dentista dizendo que o paciente vai precisar fazer o canal gera uma primeira reação desagradável. Mesmo sendo um procedimento muito comum, a maioria das pessoas não sabe o que acontece na boca durante o tratamento, principalmente aquelas que nunca passaram por ele. Para você que também tem dúvidas e tem um certo receio, nada como esclarecer e se tranquilizar com quem mais entende do assunto.

 

O que é o tratamento de canal?

O tratamento do canal do dente consiste na retirada de um tecido encontrado em sua parte interna, que é chamado de polpa – a parte vascularizada que liga o dente ao resto do corpo. Uma vez que a polpa foi danificada, infeccionada ou morta, ela precisa ser removida.

O espaço resultante da retirada da polpa deve ser limpo, preparado e preenchido. Este procedimento veda o canal. Alguns anos atrás, os dentes com polpas infeccionadas ou mortificadas eram extraídos. Hoje em dia, um tratamento de canal salva muitos dentes que de outra forma teriam sido perdidos.

 

O que causa problemas no canal?

 

A Endodontia é a especialidade que trata dos canais internos dos dentes.

 

  • Dentes quebrados e cáries profundas que não foram tratadas levam a  problemas nos canais dos dentes.
  • Também entra nesta lista dentes que já sofreram algum trauma antigo ou recente (queda ou acidente com forte impacto sobre um dente, que pode inclusive, ser totalmente íntegro e saudável até o acidente).

A corrosão da parte externa do dente, através das cáries, abre brecha para que os micróbios tomem a polpa e afetem os nervos e os vasinhos sanguíneos. Se o indivíduo demora para ir ao dentista, esta contaminação leva à necrose, infeccionando a parte viva do dente e o osso que o circunda (chamado abcesso). Neste estágio, o paciente tende a sentir dor e perceber um certo inchaço no rosto.  O dente, neste caso, só poderá ser substituído por um tratamento de implante dental.

 

Como é feito o tratamento?

O tratamento de Endodontia na Odontoquality é feita de forma intensiva, com reduzido número de consultas.

 

Num consenso comum, muitos pensam que tratar o canal é difícil, demorado e dolorido. Isto é um engano. Com um profissional capacitado, dependendo do caso, o dente é tratado em apenas uma sessão ao Dentista Especialista, que dura de 1 a 2 horas.

Antes de tudo, o dentista irá solicitar algumas radiografias para melhor visualizar a área a ser trabalhada. A Odontoquality disponibiliza aparelhos que conseguem medir com precisão esta área. A margem de acerto no tratamento é de mais de 95%, graças aos aparelhos de medição automática.

Para realizar o tratamento, o profissional acessa a parte da polpa danificada e retira a parte estragada.

Após isso, toda a cavidade e os canais por onde passam a corrente sanguínea são desinfetados.

 

Os cuidados com biossegurança são ainda mais extremos nos tratamentos de endodontia.

 

Uma nova bateria de radiografias são tiradas para visualizar se ainda há algum tecido danificado – onde as bactérias podem rapidamente se multiplicar e recomeçar a infecção.

Caso todo o tecido infeccionado tenha sido removido, o dentista irá preencher a polpa com cimento odontológico.

Para finalizar, uma restauração ou uma coroa (capa de porcelana ou resina que simula a parte mais externa do dente) sela o material.

Dependendo da extensão do problema e o comprometimento das raízes ou canais envolvidos, o tratamento pode durar de uma a três sessões. Em casos mais complicados, são necessárias mais etapas.

 

O tratamento dói?

Graças à evolução da odontologia, as técnicas de sedação e anestesia contornam o desconforto e ansiedade do paciente, todavia, o aconselhável é que sempre sejam realizadas consultas semestrais ao dentista para limpeza e controle de possíveis cáries, evitando assim, que os dentes cheguem ao estágio de terem seus canais afetados por uma cárie ou infecção.

 

Quais são as sequelas?

A recuperação costuma ser rápida, salvo casos extremos.

Após o tratamento, o dente em questão acaba perdendo a sensibilidade. Isto porque a polpa, que já não existe mais, é a que abriga os nervos. Alguns movimentos ainda podem ser sentidos, já que a região próxima ainda continua sadia.

Como a raiz do dente tratado já não existe mais, ele fica mais sujeito a fraturas e novas infecções.

 

Previna-se

  • Quem não quer passar por uma dor intensa e incômoda (como é a que aparece quando há problemas nos canais) e ter que ir correndo ao dentista para apagar o incêndio, deve se cuidar. Uma boa escovação diária junto ao hábito de passar fio dental deixam longe as cáries e problemas de canal.
  • Além disso, a visita semestral ao dentista para limpeza e controle é fundamental. São nestas consultas que são percebidas pequenas cáries, em estágio inicial, que podem ser facilmente eliminadas.
  • O objetivo da endodontia é sempre evitar a extração do dente. Apesar da taxa de 95% de sucesso nos procedimentos, nem sempre é possível salvá-lo. Portanto, cuide-se! É de extrema importância tratar as cáries dentárias antes que elas atinjam os nervos e causem problemas no canal.
  • Para pacientes que já tem histórico de problemas no canal, o cuidado na limpeza e as visitas ao dentista devem ser redobradas. O profissional poderá acompanhar através de aparelhos e radiografias se existe alguma infecção na região que possa causar mais problemas.

Post escrito com a consultoria técnica do Dr. André Luiz Monteiro, especialista em Endodontia da Odontoquality.

 

Clique aqui para marcar a sua avaliação inicial na Odontoquality